quinta-feira, 15 de setembro de 2011

As Faces do Destino(parte 9)

Carlos acorda assustado,a luz do quarto ainda está acesa.
-Nossa!outro pesadelo...
Quando se recostou na cama,devido ao cansaço do dia de trabalho,e a conversa com Marcinha,sem falar no comentário de sua mãe sobre ele não saber nada sobre Adriana!...
Ele acabou adormecendo,cochilando,acordou com o grito de Marcinha em seu pesadelo,a luz do quarto acesa ajudou-o a não se assustar ainda mais,a toalha molhada ainda em sua mão,e um fundinho de dor de cabeça.
O relógio marcava 22:30hs,resolveu dormir,colocou uma camiseta,colocou um shorts,foi até o banheiro e pendurou a toalha para seca-la.
Voltou ao quarto,foi se deitar,e torceu para não ter mais pesadelos...
No "Solar das Flores",Adriana checa seus e-mails,e trabalha um pouco,depois acaba enjoando e vai fazer um lanche,come,bebe um suco de laranja,e vai para sala,afim de ver um pouco de tv,liga a tv mas acaba se distraindo,quando pega um album de fotos para ver...
Fotos que a fazem voltar no tempo,viajar em um passado onde gosta de estar,as amigas de sempre,as mais ou menos amigas,e as nada amigas,entre elas,Marcinha,sim,elas nunca se deram.
Adriana achava Marcinha nojenta,e Marcinha achava Adriana um porre,muito chata.
Elas sempre,para azar das duas,estudaram juntas,desde o primeiro ano,e já não se suportavam,desde crianças,e foi logo no primeiro ano de escola,que Marcinha se encantou com Carlos,claro que no inicio como amiguinhos de sala,e de escola,e Carlos,desde o primeiro ano também,se encantou por Adriana,desde o primeiro olhar inocente.
Passando pelas páginas daquele album,Adriana viajou em cada página,até chegar a última delas,as fotos do último ano do ensino médio(2º grau),fotos do churrasco na chácara,e da colação de grau no clube da cidade,todos muito bem vestidos,tudo de muito bom gosto,uma linda festa,reunindo os familiares de todos eles,professores,funcionários do colégio,e de repente,uma foto deixa Adriana de boca aberta,quase sen folego,a faz paralisar por alguns segundos,ela não consegue acreditar.
-Meu DEUS!não pode ser - ela pensa em voz alta - não pode ser!
Os inseparáveis,assim estava escrito logo abaixo da foto,Olavo,Rodolfo,e...Carlos:
-Não acredito,eu não acredito,Carlos?mas espera aí!
Adriana começa a juntar algumas peças,o dia da chuva,o "abrigo" improvisado em um ponto de ônibus antigo,o encontro no barzinho de relance,ela desviou o olhar muito rápido,agora ela se lembra...
-Era ele - Adriana junta as pontas do quebra-cabeças - eu não acredito,será que ele não se lembrou de mim?ou se lembrou e ficou acanhado de falar?mas também eu estava tão assustada...
Agora os pensamentos de Adriana se misturavam,pela surpresa de reconhecer um velho amigo de escola,que ela encontrara,ou reencontrara em um dia confuso,em um final de tarde,onde se aproximava uma tempestade,e o encontrara naquele tipo de "abrigo",um velho ponto de ônibus,e não o reconhecera naquele momento,talvez o fato de estar muito assustada com sua chegada repentina ao ponto de ônibus,deve ter sido isso que a fez não prestar mais atenção no homem que havia acabado de entrar,afinal ele poderia ser qualquer coisa,um ladrão,um estuprador,um...bom,mas no final era apenas ele,Carlos,que ela não reconheceu,e no caminho até o "Solar das Flores",continuava muito assustada,tão assustada,que nem se lembra de ter se despedido dele.
Ela fecha o album de repente,como se algo a tivesse assustado,fechou tão depressa e com tanta força,que ouviu-se um baque,tão alto que,se alguém estivesse perto,assustaria.
Ela não estava fechando apenas o album,estava querendo se livrar da lembranças que acabaram ficando confusas,e embaralhando seus pensamentos.
Desligou a TV,guardou o album,e foi para seu quarto,lá tomou um banho,um longo e delicioso,e relaxante banho,mas nem isso fez seus pensamentos cessarem...
Desligou o chuveiro.se enxugou,enrolou-se na toalha,e foi até o espelho,passou creme no rosto,tirou a toalha,passou hidratante em todo seu corpo,ficou mais um pouco em frente ao espelho pensando,depois vestiu uma calcinha branca de algodão,ela não gosta de ficar totalmente nua,colocou o sutiã,e foi atá a área de serviço,pendurou a toalha no varal,voltou ao seu quarto,pegou um livro para ler,se recostou no travesseiro,ajeitou-se até ficar confortável na cama,e começou a leitura.
O livro já estava ma metade,uma leitura bem interessante,Desaparecido,de Danielle Steel,mas nesse momento,toca o interfone...
-Boa noite Dª Adriana,desculpe o incomodo - se desculpa o porteiro Ariovaldo - tem uma visita pra senhora!
-Visita?que visita? - Adriana se espanta - não estou esperando ninguém,qual o nome?
Silêncio por um instante,e ansiedade enquanto o porteiro pergunta ao visitante o seu nome.
-O nome é Carlos,Dª Adriana,diz que é um amigo da senhora de muitos anos!
Ela fica muda ao telefone por um instante,ao interfone...
O porteiro insistiu do outro lado:
-E então Dª Adriana,o que eu faço?mando o moço subir,ou a não!
mais alguns segundos de silêncio,e de repente Adriana fala:
-Qual o nome completo dele?
Mais silêncio enquanto ele faz a pergunta ao visitante,e ele volta ao interfone:
-Carlos Augusto Sampaio...
Meu DEUS é ele,mas o que ele faz aqui?pensa Adriana,como pode?será que ele também descobriu apenas hoje?...não,não é possível,é muita coincidência.
Ela decide:
-Mande-o subir por favor.
Adriana está super nervosa com a visita inesperada,seu coração está disparado,as mãos estão suando,a espera de alguém de seu passado.
Se veste rápido,coloca uma calça jeans e uma blusa preta,e se prepara para a chegada de sua visita...
A campainha toca,seu corpo estremesse,ela se dirigi a porta,coloca a mão a maçaneta,gira-a,e abre,e neste momento o telefone celular toca,e a acorda,é Aline,o nome que aprece no display,sua amiga.
E ela pensa,em voz alta...
-Nossa,que sonho doido,parecia real!
E atende o celular.
Começa mais um dia,é terça-feira,Adriana desperta ainda mexida pelo sonho da noite anterior,levanta-se,vai para cozinha,toma seu café,senta-se um pouco na sala antes de entrar no banho,e mais uma vez seus pensamentos estão no sonho que teve,porque esse sonho agora?deve ter sido a surpresa da lembrança sei lá!ela tenta achar o motivo,mas não conseguindo,vai para seu banho.
Carlos também já havia despertado,dormiu sem pesadelos,e sem sonhos,já estava pronto para mais um dia de trabalho,estava a caminho,depois de levantar cedo,tomar seu banho,tomar seu café acompanhado de sua mãe,e seu irmão,dizer um alô pra Sansão,já estava a caminho do trabalho.
Esperava que fosse um bom dia de emprego,mas não sabia o que o destino estava preparando para ele,naquele lindo dia...
Depois do banho e do café,Adriana também iria sair para o trabalho,quando a companhia tocou,ela estremeceu,o susto foi tão grande que a bolsa caiu.
Mas o porteiro não avisou que alguém estava subindo?pensou Adriana,quem pode ser a essa hora?
Ela se encaminhou até a porta,tudo igual ao sonho,pegou,e girou a maçaneta,as mãos estavam suadas,no sonho pelo menos ela sabia o que encontrar,agora abriria a porta as escuras,não sabia o que viria do outro lado,mas quem poderia ser?
Os porteiros sempre avisam quando a alguém pra subir,porque não avisaram?
Quem será?
Ela toma coragem,e abri a porta de uma vez,e se surpreende com a visita,ela realmente não esperava uma visita daquelas em horário nenhum,muito menos tão cedo...

Um comentário:

  1. Um dos melhores capítulos que você já escreveu! AMEI! ♥

    ResponderExcluir